Mangá | Wotakoi

Olá, leitores!

Concluí o volume 3 de Wotakoi, chegando, assim, à metade dos encadernados que  já foram publicados no Brasil pela Panini.

A história é do tipo Slice of Life, ou seja, apenas cenas cotidianas, o detalhe cativante é poder acompanhar recortes do dia a dia de quatro amigos (dois casais) otakus em seus locais de trabalho e horário de lazer. 

download

Ser Otaku no Japão é visto com maus olhos, então eles precisam fazer de tudo para esconder dos outros colegas suas paixões (game, anime, mangá, cosplay, etc), mas extravasar quando se trata desse quarteto.

Esse Shoujo é bem descontraído e bonitinho. Não é, nem de longe, um dos melhores da vida, mas estou gostando de acompanhar o desenrolar desses relacionamentos de amor e de amizade, além de me identificar em alguns momentos, claro, como a paixão de Hana por personagens secundários ou o jogo de Pokémon Go, rs.

Wotakoi tem anime disponível na Prime Vídeos (Amazon) e ganhará Live Action em Fevereiro!

Publicidade

Mangá | Wotakoi – O amor é difícil para otakus

41zQ0atEftL._SX341_BO1,204,203,200_Assim que li a primeira resenha sobre esse mangá, já corri para comprar o meu exemplar. Wotakoi é composto por seis volumes e chegou em março ao Brasil como uma publicação bimestral pela Panini Comics.

Esse mangá é uma mistura de Shoujo e Slice of life, onde o romance bonitinho dos shoujos adoçam a rotina de dois casais que trabalham no mesmo escritório.

Narumi e Hirotaka, o casal principal, estudaram juntos no colégio e se reencontraram no local de trabalho. Eles decidem sair para colocar os assuntos em dia e falar sobre a dificuldade de otakus em manter um relacionamento. Naru é viciada em mangás e até escreve histórias para vender em feiras temáticas, já Hiro é um gamer aficionado.

Taro e Hanako formam o casal secundário, que é muito engraçado. Eles vivem brigando porque competem por tudo. Me identifiquei bastante com Hana, bem… vejam só, ela também gosta mais de personagens secundários, rs. Hana também gosta de mangás e até faz cosplay.

Algo interessante que eu nunca tinha visto em qualquer outro mangá, é que ele traz frases ao pé da página que resume comicamente o que está se passando na história, então, depois de terminar a página, sempre me pegava rindo da frese ao lado da paginação. Além disso, a Hiro quebra a quarta parede e mostra que tem consciência de que está num mangá.

Pretendo acompanhar o desenrolar de Wotakoi. A história em si é bem simples, mas o clima de pós expediente com aquela vontade de relaxar nos vícios de otaku me deixou saudosista e com um sentimento tão tranquilo, que já quero o próximo volume. 🙂

 

.