Um teto todo seu | Virgínia Woolf | Tordesilhas

WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. São Paulo: Tordesilhas, 2014.

images.livrariasaraiva.com.br Quando Virginia Woolf já era mais conhecida como escritora de livros e resenhista em jornais, foi chamada para ministrar uma palestra em uma faculdade sobre as Mulheres na Literatura.

O discurso proferido pela autora, tornou-se o livro Um teto todo seu, que posteriormente ganhou também algumas páginas de seu diário onde ela fala sobre os livros que estava escrevendo na época.

Para desenvolver sua fala, a autora cria uma personagem, Mary Beton, que muito se mistura com a Virginia. Ela tece seus comentário aos passear por uma estante de livros, retira exemplares, lê trechos e o leitor pode acompanhar seus pensamentos a respeito da Literatura através dos séculos.

O texto da Virginia é composto por uma gama de comentários sobre Literatura produzida por mulheres. A grande questão que a autora levanta é: onde estavam as mulheres antes do século XIX? Não haveria nenhuma mulher produzindo peças tão bem quando Shakespeare?

Quando a autora explora a questão da mulher na Literatura, ela deixa bem claro que não é sobre a mulher como assunto ou como consumidora, mas como produtora de obras literárias. Ela, então, ambienta a condição social imposta para as mulheres de responsáveis pelo lar como um fator limitador nessa produção intelectual feira pelo sexo feminino. Seria necessário que a mulher conquistasse sua independência financeira, tivesse “um teto todo seu” para poder ter a autonomia de sentar e libertar o que está em sua mente.

Esse livro é fundamental para quem gosta de literatura e assuntos feministas. Um excelente texto para tratar sobre as dificuldades impostas pela sociedade que impediram a produção intelectual das mulheres durante tantos anos. Essa punição fez com que as mulheres fossem vistas apenas como consumidoras de romances açucarados, sem voz e sempre subserviente.

 

Publicidade