Eu li: O livro perdido das bruxas de Salém

Desde quando vi que esse livro seria lançado no Brasil fiquei com muita vontade de lê-lo. O primeiro motivo, claro, era porque falava das bruxas de Salém e o segundo, a autora é descendente de uma das bruxas de Salém.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

O livro perdido das bruxas de Salém é dividido em duas estórias que se interligam por um livro de receitas de medicamentos naturais, daí o título da obra. A primeira estória se passa em 1991, onde uma estudante de doutorado em história do período colonial dos Estados Unidos encontra um uma chave antiga com o nome de uma mulher dentro. A segunda estória conta os percalços que Deliverance Dane e suas descendentes passaram por volta dos anos de 1760.

Como pesquisa para o seu doutorado, Connie resolve investigar o paradeiro do livro de Deliverance, na tentativa de descobrir mais informações sobre figuras do período colonial. Acusada de bruxaria, tudo o que Deliverance quer é poder viver em paz e ensinar toda a sabedoria das plantas para sua filha, passar esse conhecimento às futuras gerações e ajudar ao próximo.

Cheio de personagens históricos que são mencionados no livro As Bruxas de Salém, de Arthur Miller, e também na primeira temporada da série Salém, Katherine Howe faz um belo apanhado histórico e cultural daquela época.

Toda a ambientação do livro é muito envolvente, tanto o cenário acadêmico da Universidade, quanto as bibliotecas antigas em que Connie faz suas pesquisas e Salém dos anos de 1760. Toda a vivência acadêmica da autora, bem como os frutos de sua pesquisa rechearam muito bem o livro, mas isso contrastou muito com seus personagens.

Digo isso pelo simples fato de que Connie não me convenceu como personagem, por vezes fiquei com raiva por ela ser tão bobinha e não conseguir supor coisas óbvias que estavam em suas próprias pesquisas e por vezes precisar de algum comentário para conseguir ligar as informações. Como uma estudante de doutorado em história pode deixar certas coisas passarem tão facilmente? Sem contar em a sensibilidade que ela possui e ignora por todo o livro. Isso me incomodou bastante.

Para quem gosta de história de bruxas, não aquelas de nariz com verruga e malvadas, mas as que dominam a sabedoria da natureza e as sutilizas da vida, O livro perdido das bruxas de Salém é uma boa indicação para ficar um tantinho mais perto dessas mulheres incríveis.

Siga o blog nas redes sociais:

Publicidade

Um comentário em “Eu li: O livro perdido das bruxas de Salém

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s